A ilha de São Jorge tem uma tradição gastronómica muito rica. A especificidade dos seus pratos típicos resulta de características edafo-climáticas da própria ilha e completam-se com o carinho e afeto dos mestres que os confecionam.Não podemos dissociar destas características o fato de alguns dos pratos serem exclusivos da nossa terra. Desde logo por ser o único local onde se produzem amêijoas, na lagoa da Caldeira de Santo Cristo, (ex-libris da nossa ilha), pela diferença do paladar dos inhames de São Jorge, criados nos “rios” (zonas húmidas junto aos leitos das ribeiras), e o queijo de São Jorge, que é produzido a partir do leite cru.A própria carne e todos os seus derivados, como por exemplo os enchidos, possuem características singulares devido ao tipo de pastoreio, nomeadamente pela especificidade da transumância praticada em algumas freguesias.Na doçaria jorgense, a variedade é grande e inclui coscorões, rosquilhas de aguardente, espécies, suspiros, doce de leite, torresmos de cabinho, charutos, bolos de véspera, cavacas e doce branco, de entre outros. Muitos destes estão diretamente ligados ao culto pelo Divino Espírito Santo.